Cubanos que ficaram no Brasil após fim do Mais Médicos relatam dificuldades

?”Antigamente, nos viam como deuses, hoje nos veem como um nada.” É assim que a médica cubana Yulia Molina Hernandez resume a reviravolta que viveu no Brasil, onde chegou há cinco anos como parte do Mais Médicos, programa lançado em 2013 pela então presidente Dilma Rousseff (PT) com o objetivo de ampliar o acesso à saúde básica em áreas carentes e remotas do país. 
Leia mais (03/23/2019 – 16h21)