Só a derrota é racista

Mesut Özil, o meia alemão, pôs o dedo na ferida do racismo na carta em que anunciou no domingo (22) sua despedida da seleção alemã:
Leia mais (07/24/2018 – 12h40)