Procuradoria vê improcedência em ação de Bolsonaro contra Folha

A Procuradoria-Geral Eleitoral manifestou-se pela improcedência de uma ação ajuizada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), em outubro do ano passado, pela chapa do então candidato Jair Bolsonaro (PSL) contra seus adversários Fernando Haddad (PT) e Manuela d?Ávila (PC do B) e contra o presidente do Grupo Folha, Luiz Frias, a acionista do jornal Maria Cristina Frias e a repórter Patrícia Campos Mello.

A ação foi uma reação à reportagem intitulada “Empresários bancam campanha contra o PT pelo WhatsApp”, publicada no dia 18 daquele mês, que revelou que empresários impulsionaram disparos em massa por WhatsApp contra o PT.

Para o vice-procurador-geral eleitoral, Humberto Jacques de Medeiros, não ficou demonstrado que a publicação desequilibrou a disputa na eleição e, segundo ele, as liberdades de expressão e de informação devem ser garantidas.
Leia mais (08/20/2019 – 22h46)