Migrantes na fronteira com os EUA sofrem com febres, fraturas e falta de atendimento

Eram quase 21h, horas depois do horário previsto de fechamento da clínica improvisada para migrantes recém-chegados à fronteira mexicana com o Texas, mas não paravam de chegar mais pacientes. Um adolescente febril com um ferimento no pé do qual exalava mau cheiro. Um homem com ferimento na cabeça e olhos vermelhos. Crianças com febre, com tosse e resfriadas.
Leia mais (03/06/2019 – 08h10)